25/03/2024 às 20h05min - Atualizada em 26/03/2024 às 00h00min

Carol Nakamura revela seus segredos de beleza e conta como conseguiu se livrar dos sintomas da TPM

Luciano Oliveira
Divulgaçao_assessoria
A dançarina e atriz, é adepta do implante hormonal, procedimento explicado pelo médico endocrinologista Dr. Henrique Passos.

Conhecido como "chip da beleza", apelido dado, no início dos anos 2000, pela apresentadora Hebe Camargo (1929-2012), o implante hormonal ficou em evidência na última década, conquistando diversas anônimas e famosas como Deborah Secco, Bruna Marquezine, Letícia Birk­heuer, Adriane Galisteu, Mirella Santos, Juju Salimeni e até Carol Nakamura, que nesta semana fez nova aplicação do procedimento, considerado um aliado para a disposição física e também para acabar com os sintomas da menstruação.

“Na verdade, eu sempre sofri muito com cólica. Tinha que tomar remédio, tinha TPM, ficava com muita dor de cabeça... era estar naqueles dias e, tipo, ficar uma semana sem querer ver gente. Prejudicava muito a minha vida. Quando soube que esse procedimento tirava a TPM e ainda melhorava a qualidade de vida, pensei: Cara, é isso que preciso. Pesquisei bastante, perguntei também para o meu médico endocrinologista, o Dr. Henrique Passos, com quem já me trato com há muitos anos, o que me deixou mais segura. Experimentei e nunca mais parei. E aí já se vão, acho que quase uns 7 anos. Não vivo sem”, conta a atriz e bailarina.

O implante hormonal bioabsorvivel com cerca de 2 centímetros de comprimento, que são implantados na região das nádegas. “O procedimento é considerado simples, com uso de anestesia local e são uma abordagem moderna na administração hormonal, disponibilizando uma diversidade de tipos que se ajustam às instruções médicas” explica o médico endocrinologista Dr. Henrique Passos, ressaltando que cada prescrição deve ser personalizada de acordo com as necessidades únicas de cada paciente.

“A partir da sua colocação, há a liberação constante de gestrinona e, em alguns casos, de outros hormônios na corrente sanguínea. Após um período, que depende diretamente do organismo de cada paciente, esse dispositivo precisa ser substituído. De forma geral, esse tempo varia em até 6 meses. O seu uso deve ser feito com responsabilidade e somente necessidade do paciente, pois numa pessoa que não tem deficiência hormonal, você começa a somar os efeitos. O que leva a sobrecarga do seu corpo com excesso de hormônios e isso pode desencadear diversos efeitos, como oleosidade na pele, queda de cabelo e acne alerta o especialista que cuida do shape de Carol Nakamura.

A bailarina, que viu os seus sintomas menstruais solucionados, o procedimento virou um caso de amor em sua vida. “Não vivo mais sem. Faço a troca a cada seis meses, e dessa vez esperei acabar, e você não pode entender o meu desespero. Realmente sinto muita diferença. Me sinto muito mais disposta. Não gostei de ficar de TPM, eu fiquei enlouquecida, porque não sabia mais com era sentir isso, eu havia esquecido. Passei uma semana cheia de cólica, comendo chocolate e tudo o que eu via pela frente. Achei até que estava esperando um filho, porque eu comia até a parede”, relatou Carol.

“E continuou: “Minha vida melhorou muito com o chip. Ainda aumentou a libido, então meu marido ficou super feliz”, concluiu.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://canaldautopia.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp